PGW Sementes realiza Jornada de pastagens inédita

A região de Pelotas, no Rio Grande do Sul, recebeu no dia 8 de agosto a primeira Jornada Pastagens realizada pela PGW Sementes no país. A iniciativa da unidade brasileira da PGG Wrightson Seeds, maior empresa de sementes forrageiras temperadas do Hemisfério Sul, reuniu cerca de 600 participantes em busca de alternativas sustentáveis que aumentem a produtividade e reduzam os custos da pecuária de corte e leiteira da região.

Realizada na centenária Estância da Gruta, nos arredores de Pelotas, a Jornada apresentou exemplos, em condições de campo, de integração entre pecuária de corte e agricultura, arroz e soja, e como esse processo contribui para pastagens mais rentáveis com a produção de carne de qualidade, e ainda melhorando a produção de grãos. A iniciativa é parte dos esforços da PGW Sementes para o desenvolvimento de sistemas de produção integrados, adaptados às condições ambientais do país, especialmente do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Com um programa de melhoramento genético que soma mais de 70 anos, a PGG Wrightson Seeds desenvolve novas cultivares em parceria com órgãos de pesquisa de todos os continentes dentre eles, o sul-americano. No Brasil, a PGW segue como a única empresa privada trabalhando com pesquisas para melhoramento genético de forrageiras de clima temperado, e realiza suas atividades em parceria com a Fundação ABC e Epagri, entre outras.

Sobre a PGW Sementes Brasil

A PGW Sementes Brasil é o braço Brasileiro da PGG Wrightson Seeds, maior empresa de sementes forrageiras de inverno do Hemisfério Sul. Especialista em sistemas de produção em base a pasto, o nosso objetivo é auxiliar o produtor a obter maior rendimento econômico da atividade. Oferecemos ao mercado sementes de forrageiras de elevada qualidade física e alto potencial genético que resultam em maior produtividade em leite ou carne produzida por hectare. Para atender às necessidades dos sistemas de produção da América do Sul, a PGG Wrightson Seeds tem entre os seus principais parceiros na pesquisa e desenvolvimento de novas cultivares de Azevéns e Festucas o INIA do Uruguai e a Grasslanz Innovations da Nova Zelândia. Através deste convênio, anualmente são testadas entre 18 e 20 mil plantas isoladas de mais de 400 linhagens diferentes. Todo este trabalho de avaliação busca adaptação local dos cultivares em cada região onde estamos, gerando novas alternativas aos produtores rurais.  

Voltar ao início