Fatos e dados da indústria de aviação neozelandesa

A indústria da aviação é extremamente importante para a Nova Zelândia. Com inovação e propriedade intelectual acumulados ao longo de mais de um século, o país segue oferecendo soluções e serviços reconhecidos por seus padrões de qualidade e altos níveis de produtividade. Avaliado em aproximadamente NZD 12 bilhões (2013), o setor aeronáutico neozelandês emprega hoje mais de 25 mil pessoas em mil empresas no país que fornecem soluções e serviços para clientes em todos os continentes, inclusive na Antártica.

A Nova Zelândia possui dois centros para entusiastas no assunto. No aeródromo Omaka Blenheim é possível observar as aeronaves decolando de acordo com a posição predominante do vento em um enorme gramado descampado. O local é cercado, a leste, pelo o Oceano Pacífico e, a oeste, por uma exuberante cadeia de montanhas. Omaka também é a casa de uma importante coleção de aviões históricos, pertencente ao Omaka Aviation Heritage Center. Descendo a sudoeste da maior ilha do arquipélago, está o Aeroporto de Wanaka, local que recebe a cada dois anos o mundialmente conhecido Warbirds Over Wanaka, que, além dos clássicos que já se exibem em Omaka, reúne ainda outros ícones como o De Havilland Chipmunk, Avro Anson 652A, BAC Strikemaster, Grumman Avenger, Bf-109, Consolidated Catalina e outros.

Dentre as inovações desenvolvidas no país, no campo aeronáutico podemos citar interiores de aviões (aircraft fit-outs), novas aeronaves (incluindo VANTs), alta precisão de processos (combate a incêndios, por exemplo), compósitos, pó de titânio e sistemas operacionais para eficácia de negócios. Na parte de localização por satélite, a Spidertracks é um líder mundial neste segmento para aviões. Com dispositivos projetados e desenvolvidos na Nova Zelândia, a empresa vem melhorando o padrão de rastreamento de aeronaves em tempo real, desde a descolagem à aterragem, no mundo inteiro.

Clique na imagem abaixo e conheça outros dados e fatos do setor aeronáutico neozelandês e sua relação com o Brasil.

Voltar ao início